Follow by Email

terça-feira, 7 de outubro de 2014

DESABAFITOS DE DOMINGO

Balancim/ Balancé de Fim de Mês

E pronto estamos no final de Agosto, isto para muita “gente”, gente fina já se vê que têm a mania por terem “levantado ferro” do Algarve que o Verão acabou. Em abono da verdade isso é um mito que o jet-set e as pseudo vedetas inventam porque não permitem que alguém possa ter ou ser mais protagonista do que eles, nesta montra de vaidades que ano, após ano, as revistas de escárnio e mal dizer teimam em noticiar e que o Zé-povinho compra avidamente. Bom, sem hipocrisias eu não compro, mas leio porque á falta de bons livros de anedotas nas bancas de jornais e livrarias, estas revistas para mim “desenrascam” a situação.
Mas compro o Correio da manhã, para ficar por dentro do que se vai passando no nosso burgo e que aproveito para ler na praia, isto quando tenho tempo para ir á praia, já que o Agosto está a terminar e fui 3 vezes á praia. Por um lado o tempo tem estado assim que a modos para o estúpido principalmente as noites e neste Mês de Agosto, com os Companhia Limitada em tournée apanhei um pouco de tudo, calor de rachar durante o dia, frio de enregelar os ossos, durante a noite, chuva que nos obrigou a cancelar e a terminar mais cedo 2 espetáculos, Quilómetros de estrada sem fim, noites perdidas, stress em alta, e depois de ontem á noite termos fechado o Mês com um Baile que acabou em café concerto, a questão que se põe para mim é: SERÁ QUE VALEU A PENA?...
O Facto dos Companhia Limitada estarem em várias frentes de “combate”, obriga-nos a esforços redobrados, hoje fazemos um Baile, amanhã um Café concerto, outro dia um tributo aos Abba, depois um tributo aos Anos 60, uma noite de anos 80, um Disco & daquilo, um outro tributo aos Bee Gees, um á música portuguesa com melodias de sempre, mais uma incursão pelo fado com aromas do Mundo etc… ufffffff até a escrever me cansa já.
Mas tudo está bem quando acaba bem e posso dizer que neste ponto de sucesso ou não o saldo é muito positivo. Foram mais uns milhares de pessoas que nos aplaudiram, que nos mimaram com elogios que até me fizeram corar e novas perspetivas para outros voos começam a tomar forma como a recompensar tanto esforço e dedicação despendido.
Convém não esquecer, que nós somos uns faz-tudo, carregamos, conduzimos, descarregamos, montamos, afinamos, tocamos e voltamos a fazer tudo de novo para voltar a casa e não temos tão pouco material como isso. Vai valendo o espírito familiar que sempre foi apanágio do sistema social do grupo, em quase 17 anos de vida dos Companhia Limitada, mas tudo isto nos deixa com uma fatura muito pesada para pagar onde a parcela saúde é que mais me preocupa.
Ontem por exemplo a noite foi com grande dificuldade que asseguramos a animação até há 1.10 da manhã. Na noite anterior tínhamos estado a participar numa noite temática dos anos 80 num Bar que é um open space, o que na prática quer dizer que não temos teto a proteger-nos, a noite por tal sinal estava boa mas o relento da madrugada e as 4 horas de música non stop fazem mossa em cima das larguíssimas centenas de horas que trazemos desde o início de Janeiro. Agora caro leitor se ainda não desistiu de ler pense lá nesta pergunta: Será que você não é uma daquelas pessoas muito rápidas a ajuizar terceiros e está a pensar: “Quem corre por gosto não cansa”?
Pois mas cada um sabe de si e garanto-lhe que há outros valores que se levantam e nos impelem a procurar fazer mais e melhor.
Analisemos concretamente o meu caso, em 30 dias fizemos 18 shows diversos, percorri a conduzir mais de 9000 Km, toquei largas centenas de horas e faturamos claro, mas deixe me acabar o meu raciocínio, num Espectáculo em Samora Correia ao virar para o palco uma manivela do elevador do teto do palco descai quando estava a fazer a manobra e amassou-me a porta lateral da minha carrinha, alguém tem ideia de quanto é que vou ter de gastar? Pior ainda o sensor da porta ficou com defeito e vem todo o caminho a apitar porque deteta a porta mal fechada e dá me cabo da paciência, Noutra situação ainda mal tínhamos começado a aquecer os motores uma roulotte de farturas expelia fumo de óleo queimado para a zona do palco intoxicando a Ligia que teve de sair em braços, eu e o resto da banda andamos 2 dias com a língua encortiçada, anulamos um show por falta de condições técnicas e logísticas, outro tivemos de chegar a casa e secar cabos e P.A porque apanhamos chuva, batemos a altas horas da manha algumas estações de serviço da A1 e da A2 a brincar aos Zombies, arranjamos novos adeptos, novos contactos e outros contratos logo nessa parte, não me posso queixar, mas quando penso que boa parte dos nossos cachets vai parar às mãos das finanças dá me vontade de desistir e por falar em impostos deixem-me então terminar o meu desabafo. Já não é a primeira nem a segunda vez que algumas pessoas que passaram ainda que esporadicamente  pelo grupo depois de se apanharem servidas, acusam me de guloso, mas vejamos quem o é:
Qualquer valor que nós cobramos está sujeito no mínimo a 25% de IRS, logo quem passava os recibos era a minha amiga Sónia. Nas finanças não querem saber se ela ganhou 1000 €uros e dividiu por 5 pessoas depois de retirado as despesas de logística, por seu turno a segurança social também não o faz por menos faturaste x a mais que o ano passado vamos la a subir o escalão e ponto final… Bem até aqui nada de novo se ganhas tens de pagar impostos pensará você não é? Pois claro! Então deixe lá aqui o guloso lançar um desafio a todas as pessoas que ao longo de 17 anos tem colaborado com os Companhia Limitada, que me desmintam se eu estiver a lançar boatos. Todos os que por cá passaram, nunca ninguém trabalhou de borla e todos foram bem recompensados pelo seu trabalho e se tivermos em linha de conta que andavam nos meus carros, tocaram com os meus instrumentos, aproveitaram todo o meu trabalho de bastidores, com contactos para shows, ensaios e formação gratuita e nunca mas nunca nem um passou um simples recibo diga la quem foi o guloso? Fui eu?
Então eu tenho deveres só? Cadê os meus direitos?
Não seria justo que se essas pessoas receberam dinheiro que tivessem de passar o respetivo recibo?
Ah já não sou guloso sou PARVO?
Sim claro que sou, direi mais estúpido mesmo.
Quer mais? Ok!  
Na maioria das vezes porque os cachets são baixos e para manter a galera motivada aqui o Parvalhão pedia à Sónia para passar o recibo sem retenção na fonte já estão a ver o filme? Não? Pois enquanto a Sónia andou na faculdade foi apresentando despesas e a coisa foi indo mais ou menos, mas só a título de exemplo em 2013 esta prática foi tão corrente que agora temos 2400 €uros de IRS para pagar e quem vai pagar quem é????? Ah Pois! O parvalhão do Carlos Camarão.
O erro foi meu e da Sónia claro, mas a mim o que me dói é essas pessoas que por cá passaram ainda tem lata para cuspirem na sopa que comeram.
Mas sem grilos, é só um desabafo de resto já passou, já aprendi a lição e já passei à História e agora já estou atento, mas acabo esta maratona da mesma maneira que comecei “teso mas feliz” porque ainda vou vivendo a fazer o que gosto e cada vez mais a sentir que algo me diz vai á luta, não desistas, sê honesto, imparcial e amigo dos que lutam ao teu lado, só que hoje ao lembrar me destas coisitas fico desiludido e com vontade de desistir, mas acho que se conseguir debelar atempadamente uma gripe de Verão que apanhei por causa dos frios da noite, dos ares condicionados dos carros, da exposição ao sol e de estar verdadeiramente fatigado, em breve voltarei á luta.
Não escrevi estas palavras, para angariar adeptos para a minha causa, simplesmente apeteceu-me desabafar e enquanto escrevo reflito e componho as minhas prioridades na minha vida pessoal e musical. Por agora só preciso de aliviar a tensão de tantas horas de trabalho responsável, já que como o amigo deve saber eu não brinco em serviço.  Ah e livrar-me desta maldita espécie de constipação e gripe misturado com uma amigdalite que me anda a deixar de rastos. De resto com saúde e uma mão cheia de amigos eu chego lá.
Siga a dança…..
Tá dito? Tá feito!


Sem comentários:

Enviar um comentário