Follow by Email

quarta-feira, 13 de junho de 2012

COMO É QUE É? (Desabafos 13)

Ao longo da minha “vida” de músico, tenho-me deparado com situações verdadeiramente insólitas, que se repetem provocando-me aqui e ali um autêntico “dejá vú”, ou seja: Tenho a impressão que já vi isto em qualquer lado!

Costumo até dizer, que já conheço estas situações de outros Carnavais. E Carnavais porquê? Porque felizmente as recordações que me assolam, são na sua maioria felizes. E até mesmo “aquelas” menos boas, acabam por me proporcionar ensinamentos, que tento aproveitar para não ser “apanhado” em contra mão . Depois esforço-me bastante para passa-los às pessoas que amo e que me ajudam a ser feliz, partilhando comigo anos de “aventuras” numa história que eu bem gostaria que fosse infindável, mas quando se chega aos 43 anos de carreira e com os pés bem assentes no chão, só posso pedir a Deus saúde e tino, para saber quando me hei-de retirar e ir vivendo um dia de cada vez.

A minha cabeça não pára. Sinto, muitas das vezes, que os meus colegas têm dificuldade em acompanhar o meu ritmo, o que acaba por criar uma saudável loucura quando todos nos embrenhamos, de corpo e alma, num novo projecto de entretenimento musical.

Não corremos atrás da fama, basta-nos ter a hipótese de mostrarmos o nosso trabalho e o público que decida qual o lugar em que merecemos estar.

Em 13 anos de existência, o grupo tem vindo a sofrer as “metamorfoses” necessárias, para continuar a trilhar o caminho do sucesso.

Sentimos que na maioria das vezes temos sido recompensados por esse esforço. Não olhamos de lado a concorrência mas também não a tememos, porque os nossos objectivos, há muito que foram bem definidos e já percebemos que a nossa maneira simples de pensar é, no mínimo, diferente.

Depois de ter iniciado este “Blog” com o qual pretendo partilhar as aventuras pessoais e colectivas, ligadas ao show business, tenho recebido constantes incentivos para continuar a “contar” as peripécias do meu (nosso) dia-a-dia

Não quero de forma alguma e para já , tornar estes apontamentos pontuais num diário, não que me faltasse matéria, mas não quero correr riscos desnecessários.

Porém, não se pense que só recebo elogios, recebo sim e acima de tudo sugestões.

Já expliquei vezes sem conta, que se não fosse a música, a minha vida não tinha “piada”, não é que eu tenha alguma coisa contra quem escolhe outro “modus operandi” para o seu status social, só que para mim, a arte do entretenimento que englobe música, teatro, revista popular, concertos, acompanhamento de artistas, entre outros, tem-me proporcionado inesquecíveis momentos de prazer, de partilha, de adrenalina, de stress, de companheirismo, de realização pessoal, entre tantas outras motivações que, ao fim de todos estes anos, eu ainda “teimo” em não arrumar as botas.

Se não fosse a música, a minha vida era demasiada rotineira, tudo seria certinho demais e estupidamente previsível e isso, aborrecer-me-ia com toda a certeza.

Não posso almejar outra, porque só conheci esta praticamente desde que me conheço e hoje, olhando para trás, não me arrependo de ter escolhido o “palco” para me sentir útil, coisa que na minha outra profissão raras vezes consegui. Detesto ser mais uma peça do puzzle, prefiro ser o criativo que julgo ser.

Boooooooooooooooolas! Que este intróito hoje foi bem compridinho

Então bora lá “esfolar o rabo”

Quando, em 1999, parti para este projecto musical e lhe coloquei o nome de Companhia Limitada, nunca pensei que fosse tão difícil às pessoas habituarem-se ao nome. Já expliquei “N” vezes que pretendi com o mesmo, que ele fosse perfeitamente identificável quer por extenso ou usando simplesmente a sigla Cª Ldª que é sobejamente conhecida.

Tem sido um “luta” inglória porque o Povo é quem mais ordena, já cantava Zeca Afonso e assim temos vindo a ser brindados com um relambório completo de outros nomes com que, sem mais nem ontem, nos têm vindo a apelidar.

Eis alguns exemplos: Carlos Camarão e suas bailarinas; Camarão e suas gambas; Carlos Camarão e Filhas; A companhia do Carlos Camarão; Carlos Camarão e Companhia Limitada; Camarão e Companhia; Grupo Companhia; Camarão e as miúdas da Companhia; Pai e Filhas …..irrrrrrrrrrrrrrrrra vão lá ser calhaus para o cu de Judas

Mas será que é tão difícil fixar o nome do grupo? Com tantos nomes “estrambólicos” que existem por aí, eu escolhi um nome Português e mesmo assim não atinam? Se fazem um cartaz, o nome normalmente aparece correcto, mas quando se trata de anunciar o grupo num show ao vivo, ficamos sempre na expectativa da calinada que vai sair, acabando algumas vezes por entrarmos em palco todos à gargalhada, para espanto e gáudio do público que também se ri, por nos ver logo tão “animados” ainda antes da actuação.

Há muito que faz parte do entretenimento interno, andarmos a apontar as “calinadas” ocasionais uns dos outros. Desde aquele elemento que um dia chegou ao ensaio a dizer que o Avô tinha sido operado ao útero, ao que gosta muito de palitos René (La Reine), ao que diz Carlos não “sejes” assim, ao que diz “Lavardio”, ao outro que disse que à porta da escola estavam a fazer uma manifestação e “tava um homem com um holofote (megafone) na boca em cima do muro a falar para os alunos” enfim, isto é só uma pequena amostra do que se pode arranjar.

É um “caderninho” com 13 anos de “bocas”, que devia ser publicado, mas como há pessoas que já não estão com os Companhia Limitada, o bom senso, manda-nos que fique para segundas núpcias.

Mas a última anedota com o nome do grupo aconteceu este fim-de-semana, onde demandei ao Algarve, mais propriamente à Vila de Ferragudo, para tratar de assuntos particulares e preparar o “terreno” para os 4 shows que iremos lá fazer entre Julho e Setembro.

Já há alguns anos, que temos o privilégio de actuar naquela Freguesia, em eventos onde temos deixado a nossa marca de imagem, sempre com relevante sucesso. Para além da música, a nossa postura simples e sem quaisquer elitismos ou vedetismos, tem-nos granjeado uma legião de adeptos, onde pontuam os estrangeiros que, cá residem ou aqui se encontram de férias, os quais não se poupam em tecer rasgados elogios ao nosso trabalho. Isso fez com que tal sentimento começasse a ser extensivo aos comerciantes, que vêem nos Companhia Limitada uma mais-valia para o seu negócio de restauração. Por norma, quando lá actuamos a noite, segundo alguns, vale por um Mês.

Temos pois que agradecer ao Presidente da Junta, Sr. Luís Alberto que não se tem poupado a esforços para ter os Companhia Limitada na Freguesia a que preside e ao qual muito agradecemos a preferência. Mas nunca me passou pela cabeça, que neste Domingo, dia 3 de Junho de 2012, quando tomava um delicioso pequeno-almoço com a minha mulher, no Largo Rainha Dona Leonor, onde este Verão voltaremos a actuar, que a dona do restaurante, ao saber que nós ali iremos 4 vezes este ano, muito emocionada foi comunicar ao marido que as “Meninas do Sr. Presidente da Junta de Freguesia” estavam de volta. A minha mulher com um certo ar trocista veio dar-me a novidade e disse: Carlos tu sabes como é que és conhecido aqui?

E eu Não!

“Pelas meninas do Sr. Presidente da Junta de Freguesia”

COMO É QUE É?

Fonix!!!!!!!!!!!!!!!

Levei algum tempo a “mastigar” a novidade.

As meninas do Sr. Presidente da Junta de Freguesia, balbuciei eu sobre o olhar cada vez mais trocista da minha mulher, bem eu até já estou habituado a que me alterem o nome do grupo e já vos dei alguns exemplos, mas é a primeira vez que me põem “fora” do grupo e nem sequer me avisam. Na prática, quando actuamos tiram-lhes 10 fotos a elas e a mim apenas 1, filmam os pormenores delas e os meus, só quando a câmara passa por mim e agora pergunto, está correcto?

Eu respondo, está!

E nem me importo nada!

 Elas vendem talento, mas também vendem imagem, uma imagem que tem sido cuidada, para não passar os limites da decência.

Agora porquê as meninas do Presidente da Junta de Freguesia?

Não estou chocado claro! Mas é caso para pensar, que nós somos aquilo que o Povo quer, podemos fazer planos, trabalhar a imagem, vestir o melhor trapinho, mas quando o “povão” nos rotula, é escusado.

Bem, já sei que quando voltar lá em Julho, vou ter de desmistificar esta história, tanto em Português como em Inglês, é que se fossem As meninas do Sr. Presidente a coisa ainda passava, porque podíamos subentender que eu é que era o “PLESIDENTE”, mas agora “PLESIDENTE DA JUNTA”? Pelo menos do Conselho de Administração. Mas vamos lá agora perceber porquê? Por ele nos ter “adoptado” ou por ser um acérrimo defensor nosso? Ok! É mais uma entrada no “anedotário” do grupo e desde que nos respeitem está tudo bem.

Artista sofre, mas músico pena 

Extra em primeira-mão!

Hoje dia 4 de Junho começam oficialmente os trabalhos de preparação para a parceria que fizemos com a Brasileira SIMARA.

O Show irá chamar-se SIMARA & COMPANHIA LIMITADA, grandes êxitos da música Brasileira.

Em palco e para além de nós, irão estar 4 bailarinos. A estreia está marcada para dia 3 de Julho de 2012, em Coimbra, nas margens do rio Guadiana.

Entretanto, está tudo preparado para começarmos a trabalhar no novo show temático do grupo, que contamos estrear este ano no Reveillon, no Hotel Club D’Azeitão, ao qual demos o título provisório de:

BEE GEES 2 U, BY COMPANHIA LIMITADA

Com o desaparecimento de Robin Gibb, depois de Maurice, achámos que está na altura de cantarmos uma das maiores bandas Pop de sempre. Graças aos Bee Gees, todos aprendemos a gostar de fazer harmonias vocais (cantar a vozes). Vai ser um show, que acreditamos, irá somar mais um sucesso às nossas propostas de shows temáticos. Com momentos, que irão das baladas em acústico ao poderoso som do “Disco Sound”, BEE GEES 2 U, BY COMPANHIA LIMITADA, dará uma especial atenção à complexidade dos temas. Já estão escolhidas as 30 melhores músicas que irão dar suporte a este show que, após a estreia prevista para 31 de Dezembro, irá ser a nova aposta para o ano de 2013. Fique atento e não perca pitada dos preparativos que, entretanto, iremos deixando antever. Por agora é tudo

Tá dito? Tá Feito!

( Carlos Camarão mentor do projecto musical Companhia Limitada )