Follow by Email

terça-feira, 7 de outubro de 2014


“DESABAFÃO DE DOMINGO, LEIA & PARTILHE SE QUISER”

  ASSIM NEM COM VIAGRA EU ME ENDIREITO!

                                OU

  COMO SER FORNICADO E MAL PAGO!

São 5.20h da manhã deste Domingo dia 5 de Outubro de 2014 e ando aqui às voltas com a minha consciência, sobre o deve e o haver e se por um lado penso que o melhor que eu faria era seguir aquela citação popular do “cagando e andando”, por outro sinto que no mínimo preciso desabafar e ao mesmo tempo deixar aqui um recado aos sonhadores que acham que lá por terem entrado naqueles concursos de caça talentos das Tvs, ou dos karaokes e lhes dizem, ***parabéns és muito bom e vais ter um grande futuro na música***, ou quando vejo jovens promissores que lá por terem tido uma boa prestação, ajuízam que são favas contadas e a partir daí passam a andar em bicos de pés, esquecendo conselhos de quem anda nesta vida há quase meio século, fico sempre com vontade de meter a boca no trombone e “lascar” a direito, mas será que vale a pena chamá-los á realidade? Como um certo dia uma nojenta de uma espécie de jornalista de uma dessas revistas das futriquices me disse numa entrevista sobre um assunto que prefiro não citar agora: *** O Sr.º Carlos acha que tem o direito de impedir uma jovem de sonhar’*** Eu nessa altura, o que devia ter feito era ter corrido com aquela porca lá do meu estúdio de ensaios e encerrar ali a conversa, mas não o fiz, porque o meu lado não-alinhado, não submisso decidiu responder-lhe à letra e mostrar-lhe que nem todo o mato é orégãos. Acabei por pagar bem caro por isso, ela vingou-se e escreveu coisas que eu nunca disse, pondo fim a uma amizade que tinha com alguém de muitos anos e sem direito a retratar-me. Mas foi o suficiente para daí para a frente eu ainda ter mais coragem de dizer na cara dos candidatos a vedeta que nem tudo o que luz é ouro. De tantos e tantas que ajudei, só 2 pessoas e uma “filha pródiga” levaram á letra os meus conselhos é por isso que 16 anos depois ainda estão na música sem nunca terem vendido a “alma ao diabo”. Não quero dizer com isto que as outras pessoas o tenham feito, mas também até hoje não tiraram o pé da merda. Porque se eu quisesse cantar de borla era o gajo mais famoso de Portugal.
Ora bem, isto foi só o introito por isso caro leitor ou desiste já por aqui, ou então tente levar -me a sério e dê um pouco mais do seu tempo em prol dos iludidos. Perceba que eu não estou preocupado se lê tudo, ou me leva a sério, os meus desabafos valem o que valem e servem precisamente para eu escrever o que sinto, e se for preciso mais tarde recordar-me que a grande parte da minha luta pelos meus ideais não foram tomados de ânimo leve. Ser, ou ter comportamentos sociais politicamente corretos é na verdade uma atitude defensiva que me livra de perder tempo, mas há alturas que  não há “cu que aguente” tantas infiltrações.
Em todas as profissões há bons e maus profissionais, mas o meu maior medo, é com os medíocres, com aqueles que por dinheiro e sempre o maldito dinheiro, são piores que o assassino mais refinado, os que não consigo definir e quando isso acontece, muitas vezes já é tarde.    
Há muitos anos que deixei as minhas ilusões para trás, por favor não confundir com os meus sonhos, penso que ao fim de os primeiros 5 anos como músico e já vou a caminho dos 47 anos de atividade eu percebi que, ou tinha dinheiro, muito dinheiro, para me afirmar ou tinha de me submeter aos caprichos dos agiotas ligados ao Mundo da música. Como a primeira opção nunca quis nada comigo, só me restava embarcar na segunda e não fui capaz, daí que quase 47 anos depois eu ainda continue a remar contra a maré. Meus anjinhos candidatos a vedetas, isto é a pura das realidades, não tem nada a ver com o talento, nem tão pouco com a sorte, ou acham que se o meu trabalho não tivesse valor eu ainda cá andava? Eu vejo por aí tanta gente com talento, direi mesmo enorme talento, só que a ilusão e a vaidade cega que demonstram, aliada a uma boa dose de arrogância vai acabar por perdê-los. Mas agora dirá você: *** Mas este Carlos Camarão pensará que é algum profeta?*** ou então *** Mas porque é que este gajo não se mete na vida dele? Ou ainda *** Mas porque é que ele fala tanto e nunca passou da cepa torta? *** Não é bem assim eu considero que tenho uma História de vida deveras riquíssima ok? No entanto, todas estas interrogações que possa ter, apesar de não estar de acordo, admito que são passíveis de serem criadas, mas o problema é que por causa destes candidatos a vedeta que acham que é atar e pôr ao fumeiro, é que eu não saio da cepa torta e reparem falo por mim e por largas centenas de músicos e projetos, alguns  100% profissionais que vivem em sérias dificuldades por causa destes entusiastas que só querem é aparecer. Não questiono sequer a qualidade deles e delas, o público que o faça, mas que o faça bem feito, que não vá só atrás de um palminho da cara, de umas pernas bonitas, ou de histórias de vida onde tudo é cor-de-rosa, eles também se peidam e arrotam e estão se nas tintas para vocês, essa história do “façam barulho” “são o melhor público do Mundo” “levo-os no coração “ etc. etc. é tudo treta, eles levam mas é a carteira recheada e nada mais. São como os futebolistas, dentro do campo andam á porrada e passam essa violência cá para fora e em nome das torcidas, das claques, matam esfolam partem e criam-se ódios de estimação, mas depois quando a época acaba, é vê-los nas Seicheles, Côte de Azur, Miami em grandes iates com fotos de família, copos, vida de lordes em grande confraternização enquanto você nem para ir até ao Algarve tem hipóteses. Quer mais? Você está doente precisa de um médico, de uma simples consulta vai ao hospital e espera horas a fio e nem sempre é bem atendido como sabe, porque muitos daqueles médicos não passam de mercenários da saúde, mas vem um garboso futebolista porque tem uma dor na nas “nalgas” e tem direito a tratamento VIP.
Não estou a divagar meus amigos, eu só falo do que sei e aconteceu comigo, estar no Hospital de Santiago em Setúbal á espera de uma consulta quando  o “sôr dotôr” chegou a tarde  e a más horas e não me queria atender porque o “sôr dotôr da mula ruça” tinha de ir para o Hospital da Luz para as consultas da tarde.. Nisto eu vou a receção para reclamar quando vejo um jogador do Vitória de Setúbal vindo da “cona da mãe street, la de onde o diabo perdeu as botas” ou coisa que o valha, para mim ele falava chinês acompanhado por 2 zelosos funcionários do Vitória a fazer a ficha e passar á frente de toda a gente…………..(pausa para me acalmar)………………fiz o maior putedo que possam imaginar, dei 4 murros no balcão mandei umas “merdas mas afinal o que é isto?” e quando dei por mim tinha 2 seguranças a mandarem me calar senão punham me na rua….mas eu sujeito a levar uns tabefes fiz me a eles, mandei umas alhadas e disse so me tiram daqui á força e iam tirar –me  lolllll, quando o “sôr dotôr” veio á porta muito incomodado com o barulho perguntar o que é que se passava e eu disse – lhe olhe se me acontecer alguma coisa o “xôr” é que é culpado estou aqui desde as 9.30h da manhã com consulta marcada e agora vem um escarumba que dá uns pontapés  na bola e passa á minha frente? (ESTA TIRADA RACISTA FOI SÓ PORQUE EU ESTAVA DE CABEÇA PERDIDA ACONTECE AOS MELHORES) ainda por cima argumentei “O GAJO É FEIO QUE DOI” isto porque uma das rececionistas ficou com comichão no grelo quando ouviu que vinha a subir um novo reforço do Vitória de Setúbal e eu tinha ficado a pensar cobras e lagartos dela, pelo frenesim que criou, só que quando o viu passou a bola a outra. O que um gajo diz quando perde o controlo das boas maneiras… O médico foi á receção e quando voltou disse, eu atendo-o já a seguir….    
Bom eu desviei-me do móbil principal que me levou a escrever este desabafo e já são 8.49h. Ora bem sabiam que já se constituíram empresas ou la o que será para levarem os “artistas” a cantarem de borla aos programas Domingueiros da SIC e da TVI? Não? Então não é que me garantiram que há “mãnfios” desses que pagam 250 €uros de cada vez que lá vão fingir que estão a cantar? Não? Então a SIC e a TVI preenchem as tardes com aquela xaropada que salvo algumas raras exceções é um desfile do pior que se faz em Portugal, empoçam umas massas e quanto aos “artistas” é á bicha e não há bilhetes…. Ok, Ok, Ok eu admito que você já esteja a pensar: *** MAS O QUE É QUE ESTE GAJO TEM A VER COM ISSO? *** Ou então *** MAS QUE GRANDE MENTIRA*** Ok até pode ser mentira que a editora Espacial domine o jogo de bastidores todo e digo nesta parte empresarial eles têm de sobreviver e cada qual joga com as cartas que têm, ou seja contra a Espacial? Nada!
Mas e contra os “artistas”? Bem contra esses… também não dirá você!
Ora bem então veja lá finalmente o porquê de me sentir revoltado.
Este Verão fui contactado por alguém responsável de um Hotel de 5 estrelas no Algarve que me propunha fazer os Meses de Setembro e Outubro uma vez por semana onde iria alternar com os nossos Tributos aos ABBA e aos BEE GEES, isto para começar.. Mais uma vez e em vez de me pôr em bicos de pés afinal não seria a primeira vez que atuamos em Hotéis, eu preferi responder a quem de direito num e-mail personalizado, onde lhe explicava que residimos no Barreiro e que só a parte logística tinha custos elevados. Reparem! Em vez de pensar… ai e tal, Hotel de 5 estrelas há lá dinheiro, querem qualidade paguem…. O pobrezinho do Carlos resolveu enviar um valor que numa primeira fase fazia um jus mínimo ao nosso valor, ao nosso trabalho e á nossa deslocação… passado uma semana como não obtive resposta, reli o meu e-mail e pensei: caramba, vou apertar aqui o cinto, afinal quem sabe ao abrirmos aquela porta não estejamos mais perto de conseguirmos realizar o sonho da Sónia que é tocar a bordo de um cruzeiro. Nós temos uma boa cotação por terras Algarvias, principalmente a comunidade estrangeira residente e turistas têm-nos procurado, apoiado, e convidado a atuarmos em festas particulares deles, e já não é a primeira vez que temos estado perto de fazermos uma perninha em alto mar, o problema não são os convites, nem os valores e sim a disponibilidade dos músicos, mas adiante.
Pois eu pensei, repensei e envio um segundo e-mail para o Hotel em causa onde depois de tirarmos o valor da deslocação de 2 carros e ter decidido eliminar as portagens ou seja tirarmos do nosso bolso esse “privilégio” que pretendia usar só na volta, já que a ideia era voltarmos logo após a nossa atuação o que na prática seria estarmos por casa lá para as 3 da manhã e 600km em cima, lá apontei uma margem mínima, digo,  irrisória com a contrapartida de haver hipóteses de sermos contratados ao longo do ano e quiçá no Verão. Entretanto a resposta demorou, demorou e ontem á noite passado um Mês, lá tive a dita resposta.. Como era para ser em Setembro e Outubro percebi logo que iria ficar sem efeito, e confesso que até já me tinha esquecido, afinal a vida não para e desde que haja saúde para mim será sempre um “siga a dança” e partir para outras paragens. Mas ao ler a resposta fiquei estupidificado e senti-me ofendido. Então não é que me dizem que o budget que tem para fazer essas festas é de 150 €uros?
Ora vamos lá ver se eu entendo: então a pessoa sabe que somos 5 elementos, que lhe disse que a nossa deslocação rondava os 120 euros sem portagens, que os nossos espetáculos são de grande qualidade como sabiam, queriam uma fidelização semanal e oferecem 150 €uros?? Mas isto é um gozo ou quê??? Reparem a pessoa em causa não tem culpa ela até foi sincera dizer quanto dispõe para a animação e não era obrigada a isso, está defender o posto de trabalho dela e eu entendo, mas e a Administração do Hotel? Um Hotel de 5 estrelas paga-se bem ou não? Eu não sei, nunca fiquei hospedado em nenhum, mas calculo que não é para todos correto? 150 €UROS???? Há e mais,  sobre os 150 € eu iria passar recibo onde as finanças recolhem 25% para o IRS, ou seja eu ia pagar para tocar… Entrava na onda dos candidatos a artistas que agora pagam á SIC e á TVI para aparecerem.. E não estou a falar de borla, porque das 2 vezes que fui á RTP com a Simara foi ela que custeou as nossas despesas de deslocação, há cerca de 2 meses recebi um convite para irmos a Fafe participar no programa da volta a Portugal onde supostamente iríamos “tocar 2 temas” mas tínhamos de ser nós a custear as despesas de ida e volta. Declinei o convite porque 2 dias antes, comunicaram-me, que já não seria 2 músicas e sim 1.
Eu disse ao meu amigo: ***Oh companheiro muito obrigado pelo convite mas assim não***. Então eu ia para Fafe e voltava no mesmo dia para aparecer 3 minutos no ecrã da TV, no meio de uma enxurrada de outros artistas? Percebam que o problema, é que a fartura é tanta que quando o programa acaba já ninguém sabe quem é quem… Lá pagar as deslocações eu ainda alinho, há que investir, agora pagar para aparecer????? Por mim passo.
Mas é por causa desses “paraquedistas de ocasião” bêbados por uma pseudo notoriedade e fama de araraque que depois os que andam na luta para darem, um pouco de dignidade aos que fazem da música a sua vida, são “fornicados e mal pagos”…É por causa desta “gentinha” que acha mesmo que basta ouvirem dizer num concurso da TV ou Karaoke que tens o Futuro á tua frente que já está garantido e são favas contadas… Se são jovens claro que têm o futuro à sua frente mas isso é a única verdade que lhe é dita…. E depois na força da sua santa ingenuidade, e da sua juventude, para aparecerem pisam tudo e todos, sujeitam-se a manhas e artimanhas de pseudo empresários e produtores de cordel. Gastam o que tem e não tem na ânsia de aparecerem onde meia dúzia de aplausos e umas palmadas nas costas de alguns amigos da corda chegam para pensarem que já são alguém… Podia começar a desfiar aqui uma longa lista de nomes que prometiam mundos e fundos e que “morreram na casca” … Mas sabem uma coisa ESTOU FARTO!
Já desisti de bancar o Herói dos indefesos, o tempo é que nos ensina e até alguns atrás, quando eu “adotava” um novo elemento que eu conseguia perceber que tinha potencial, para ir mais além do que eu consegui, que o ensinava, que o protegia dando a cara por ele, que lhe arranjava trabalho enquanto lhe segurava na mão e lhe pagava ainda por cima, esse tempo para mim acabou. Nunca prometi a ninguém fama, o que prometi foi trabalho muito trabalho, tudo o que atrás referi eu dei de borla a todos, só exigia fidelidade á minha causa e quem trai a minha confiança está fora do meu Mundo.
Hoje sinto-me cansado, principalmente por ver que a concorrência é desleal, e imunda. Sei, vejo e sinto coisas que me enojam, pessoas que tudo fazem para aparecerem, que não vendem talento e só se prostituem prejudicando quem quer dignificar a profissão de músicos de verdade. Não ponho sequer em causa a qualidade atenção, cada um sabe de si neste aspeto!!!!!!!!! O que ponho em causa é a dignidade e o brio profissional que cada vez mais, é uma palavra vã neste “mercado da música”.
Por isso meus “ anjinhos candidatos a artistas” abram bem a pestana porque quando pensarem que já tem o Mundo aos vossos pés vocês caiem do cavalo e nunca mais se levantam. Não sou profeta da desgraça porra nenhuma, sou um músico que sempre tentou ser humilde e que ao fim de quase 47 anos de atividade interrupta tem calo no cu como o macaco e se eu não sei do que falo, pensem lá um pouco…. serão vocês que ainda andam de fraldas que vem ensinar a missa ao padre? E reparem que eu estou a tentar “ensinar” como se come e não como se faz a papa. Não são obrigados a seguir os meus pergaminhos. Nem tampouco quero ser o salvador da Pátria, so que gostava de  acabar a minha carreira com dignidade e cada vez está mais difícil, já viram se eu fosse aceitar os 150 €uros, o pior é que vai haver alguém que o vá fazer disso ninguém duvide? Não o fiz nem sequer respondo porque me sinto ofendido, estou saturado de semear para colher. Só ainda não fechei a loja e vou teimando em semear mesmo sem colher algo que se veja e me realize totalmente, porque ainda tenho o desejo de deixar um legado para os que me apoiam, me escutam, confiam e sabem que eu sou:
 PUTA MAS SOU SÉRIA!

Tá dito? Tá feito!      
Desabafitos de 2ª Feira

“OS CHICOS ESPERTOS DA MINHA TERRA”

Em 46 anos de carreira de músico, já tive de engolir muitos sapos, mas quem nunca o fez que atire a primeira pedra. Tudo porque a música, para mim não é só um capricho, é a minha profissão, a minha vida e a minha paixão e quando se “ama” de verdade perdoa-se, ou pelo menos tenta-se. No entanto já estou numa fase da minha vida em que posso levar desaforos mas de certeza que o troco da minha parte vem quando menos se espera.
Hoje dia 28 de Julho, um dos elementos fundadores do Conjunto Holiday In Portugal do Barreiro, na pessoa do meu Ex colega e amigo José Libertino Figueiredo, postou, uma foto no Facebook do conjunto onde eu estou com a bonita idade de 16 anitos. Recordar é viver e muitas pessoas, resolveram abordar-me aqui na rede, ou em privado, todas elas (pessoas) tinham um denominador comum, a saudade por aqueles gloriosos e belos tempos terem acabado e entre dois dedos de conversa, interrogaram-me o porquê?
Bem quem me conhece de perto, sabe que eu tenho uma teoria que tenho defendido e que considero válida sobre este assunto, mas que iria preencher muitas páginas e eu preferia antes fazer um debate público, dada a complexidade que o mesmo contém.
Mas ainda assim vou deixar aqui 2 exemplos dos muitos que poderia citar visando as 2 maiores coletividades do Barreiro, refiro-me aos Franceses onde cresci como músico e Penicheiros, onde tive o privilégio da atuar imensas vezes.
Nos tempos em que o Sr.º Bernardino Matias foi Presidente dos Franceses, alternando com o José Augusto velha gloria benfiquista para o identificarem melhor, os Franceses fervilhavam de atividades, havia 2 Matinés e 2 Soirées por Mês, havia Revista Carnavalesca e o Bar dava dinheiro, havia salas sempre cheias, Réveillons e Carnavais onde não cabiam uma palha e onde os sócios se “debatiam” para ter uma mesa nos eventos e que tinham de ser reservadas com muita antecedência. Foram Anos que marcaram profundamente muitas gerações. Eu fiz mais de 25 Passagens de Ano e os mesmos Carnavais nos Franceses por isso caros leitores devem de calcular que eu sei muito bem o que estou a dizer, direi ainda mais! Depois de mim como músico claro, tudo acabou mas já lá vou, não quero que me julguem convencido. Apesar de haver sempre algo interessante para levar público aos Franceses, a Direção Presidida “anos a fio” pela dupla José Augusto/ Bernardino Matias, foi sempre muito contestada por outros Ex dirigentes que eram figuram emblemáticas da massa associativa, mas verdade seja dita que se fizeram grandes melhoramentos, como o pavilhão Gimno desportivo e um deles e o infantário por exemplo. Não tenho a menor dúvida que o nome do José Augusto serviu para dar mais credibilidade aos apoios que a coletividade ia tendo e deviam de ter ficado por aí, mas não ficaram. Cometeram muitos erros seguidos, onde a maior asneira foi terem aberto uma Discoteca por debaixo do salão de baile, e isso incomodava e de que maneira, o barulho era ensurdecedor, cheguei a ter de atuar a contra relógio, porque na altura o “dono” da discoteca, me ameaçava que às 0.30h arrancava com a música, lembro-me de haver teatro e o “dono” da discoteca estar-se nas tintas para o que se passava no salão nobre, de mulheres a serem molestadas quando vinham a sair dos bailes, por bêbados e drogados que estavam a curtir a “night” depois de saírem da discoteca etc… por causa dessa “brincadeira” dividiram-se opiniões, criaram-se antagonismos e a desertificação começou a tomar forma, muitos sócios deixaram de o ser, muitos pais não queriam que os seus filhos assistissem a muitas cenas tristes mesmo à porta principal dos Franceses e deixaram de ir. Hoje é o que se sabe. Serviu alguém e para alguém, mas não os sócios isso foi limpinho.
A gestão social foi mal feita, lembro-me de passagens de ano a abarrotar pelas costuras com as mesas cheias onde o socio pagava 2 contos por uma mesa e 4 cadeiras e tinham de ir carregados com o farnel e às 2 horas da manhã a dita estar acabada, porque a Direção assim o entendia. Aos poucos comecei a ver clareiras no salão onde anos antes não cabia uma agulha e entendi que algo tinha de mudar e ser feita uma abordagem social diferente. Entretanto Bernardino Matias faleceu e o descalabro começou!
O José Augusto que até aí e na minha opinião, no que dizia respeito às atividades recreativas, mormente as festas no salão, tinha tido uma postura mais passiva, vê-se na contingência de ter que assumir as “despesas da casa” nesta área, mas como a sua vida particular não lhe permitia grandes investimentos de tempo, não teve outro remédio senão passar a bola a outros e é aqui que aparecem os chicos espertos, que sempre viveram na sombra de alguém mas como de repente lhe dão algum protagonismo, querem mostrar trabalho, mas o seu Q.I nesta matéria foi altamente deficiente e começou a ser cada tiro cada melro. Resolveram meter para sócio uns indivíduos de etnia cigana, que por sua vez levou a família toda atrás. 4 Carnavais antes de eu dizer adeus até nunca mais á coletividade a quem dei os melhores anos da minha vida, (não é á toa, que o meu nome está lá numa placa logo á entrada do salão), eles compravam caixas de cervejas que traziam para o meio do salão, abriam entornavam o que devia de ser o primeiro gole para o chão e depois faziam a festa á maneira deles indiferentes a quem lá estava. É claro que os sócios, que estavam habituados a uma certa privacidade e segurança, de repente viram-se envolvidos em cenas de pancadaria, mas qual quê pôr policia á porta? Isso foram outros tempos, a Polícia custava dinheiro. È caricato que a Polícia estava a 50 metros da coletividade, mas não a chamavam porque tinha custos. E nesse ano o caso foi muito badalado na altura pela cidade do Barreiro. As más noticias correm depressa e ainda esperei que tivessem tido o bom senso de terem tido coragem de pôr um ponto final na História, mas qual quê? No ano seguinte ainda foi pior e mais um grande contributo para a desertificação. No ano seguinte o José Augusto contrata-me agora já com os Companhia Limitada para fazer a Passagem de Ano e o Carnaval, na altura disse-lhe o Zé Augusto, vocês deviam de dar um mimo aos sócios tipo uma garrafinha de espumante em casa mesa que achas? E ele disse-me boa ideia Camarão e essa foi a última passagem de ano que lá fiz, que correu muito bem com sala cheia de sócios e não sócios pagantes e pensei, bom pode ser que isto se recomponha também no Carnaval, mas qual quê no Sábado de Carnaval percebi que as enchentes de outros tempos já eram águas passadas, mas ainda assim a sala esteve composta e nós a esforçarmo-nos para que tudo corresse bem, só que no Domingo quando a sala abriu houve uma invasão de famílias de etnia cigana e se eles tinham direitos, as “outras” pessoas também podem reservar-se ao direito do que bem entenderem e no caso concreto chegavam á porta e iam embora. No ano seguinte fomos fazer a passagem de ano aos Galitos F. Clube, foi uma passagem de ano maravilhosa, que correu muito bem com porta fechada para estranhos, só entrou quem comprou mesa e a festa durou até às 4.30h da manhã, ficando no ar a promessa de que no ano a seguir era para repetir, mas entrou outra Direção com mais alguns CHICOS ESPERTOS que resolveram alugar a sala a pessoas de etnia cigana para fazerem o seu réveillon privativo e pensaram que se iam safar, porque era dinheiro em caixa sem trabalho como convém. Segundo fontes bem informadas o que ganharam não deu para pagar a limpeza da sala tal foi o estado em que a dita ficou. Agora atenção eu não estou a aqui com atitudes racistas, só me limito a constatar factos reais e nada mais. Claro que a desertificação das coletividades de Cultura e Recreio não se deve a estes 2 pormenores, que acabei de citar. No caso dos Franceses tenho a certeza que contribuiu em larga escala, nos Galitos? Tiveram uma oportunidade de fidelizar as pessoas para terem ali uma situação que se podia tornar tradição, mas foi a única vez que quiseram arriscar. A desertificação é muita mais complexa, mas a culpa não pode morrer solteira e estes erros pagam-se caro. Depois da passagem de ano nos Galitos salvo erro em 2001, o José Augusto contratou-me para fazer o Carnaval, algo me dizia para não aceitar, tudo me cheirava a fiasco, mas era a minha coletividade e infantilmente mais uma vez lutei contra o que já não havia remédio e foi um fiasco… E CHOREI, chorei as 4 noites antes de subir ao palco e olhava para aquela sala quase vazia, eu sabia que aquilo ia acontecer por isso eu não queria aceitar, mas também sabia que não era por minha causa, mas o pior foi quando um MERDOSO da Direção da altura dos Franceses digo bem MERDOSO, um dos tais que teve a sua oportunidade de ser protagonista e “escafedeu” tudo ainda mais quando me quis incutir culpas pelo fiasco que tinha acontecido, dizendo que as pessoas não vinham porque a música não prestava? Eu mostrei-lhe uma lista de todas as músicas que tínhamos tocado porque era uso frequente e disse-lhe, olha para aqui e diz lá quais são as músicas que não são de Carnaval? Ele encolheu os ombros, eu saí e jurei que nunca mais pisava aquele palco como músico principalmente enquanto aquele javardolas lá estivesse. E foi até hoje. No ano a seguir fui fazer o Carnaval para Sintra mas aproveitei o Domingo que eles não toquei e fui aos Franceses ver in loco se era do cu ou se era das calças. Quando lá cheguei fui direto ao balcão e estava eu e o Sr.º Sabino do outro lado do balcão, este senhor chegou a ser Presidente da Direção há muitos anos atrás. Na sala estavam 6 pessoas e sabem porque é que eu lhes chamo CHICOS ESPERTOS? Porque em vez de terem arranjado um conjunto como deve de ser, foram contratar uma jovem organista que independentemente do talento que pudesse ter estava em desvantagem como devem de calcular. Imaginem por favor o palco dos Franceses, com a cortina fechada e a rapariga com um órgão á frente do pano sem luz, sem cor e sem público a tocar para uma sala com aquelas dimensões com 6 pessoas. Ouvi ela tocar 3 músicas levantei-me e vim embora com pena da pobre rapariga que foi atirada às feras. A partir a História fala por si. Os Franceses entraram num declínio tão vergonhoso para a sua História que por fim era o contínuo que arranjava uns principiantes para irem fazer matinées ao Domingo à percentagem acreditam? E nunca mais aquela sala teve o brilho de outrora e nem acredito que com este tipo de pessoas consiga dar a volta. Atenção, eu estou a fazer uma crítica à Direção que estava salvo erro em 2001. Agora não sei nem me interessa saber quem lá está. Mas pelos vistos não houve muitas alterações em 13 anos.
Enquanto isto acontecia nossa Franceses, curiosamente os Penicheiros, continuavam a ter a sala bem com muita gente principalmente na Passagem de ano e Carnaval. Os Penicheiros situa-se numa zona mais bairrista e eu pensei, bem agora estão sozinhos, mas pronto deviam de manter a qualidade, mas não até há uns anos atrás não era qualquer conjunto que ia aos Penicheiros, mas novamente a ideia de que a malta come qualquer coisa prevaleceu e começaram a levar quantidade e a qualidade que se lixe, depois claro eu acredito que as despesas são maiores que as receitas porque os sócios acham que 2 ou 3 euros de cota, isto num exemplo á sorte, chega para tudo, mas os tempos são outros e outrora quando havia vaidade em ser Diretor destas coletividades, hoje? Fogem como diabo da Cruz e quem la fica tem uma cruz enorme. Eu dos Penicheiros não falo muito porque não estou por dentro do assunto, fui lá uma vez oferecer os meus serviços dos Companhia Limitada, mas eles queriam também a passagem de Ano e eu já tinha marcado para o Hotel Club D’Azeitão e eles não aceitaram, na minha opinião deram um tiro no pé ao fazerem isso, porque quando cheguei á porta fechei com a SFAL e nos 6 anos seguintes enchemos aquela sala de boa música e animação durante as 4 noites de Carnaval e a SFAL pelo menos nessas 4 noites renasceu das cinzas, mas pelos vistos há la mais chicos espertos que não percebem que os Companhia Limitada não são um projeto melhor nem pior que outros, vedetismos não é comigo e acima de tudo respeito todos os meus colegas, mas percebo que nós temos uma cadência própria, uma postura diferente, e uma qualidade acima da média, e isso faz toda a diferença. Infelizmente eu que até pensava fechar a minha carreira na SFAL, visto que foi ali que fiz o meu primeiro Carnaval com o HOLIDAY IN PORTUGAL, mas OS CHICOS ESPERTOS depois de eu ter explicado, numa carta registada com aviso de recepcção que enviei para a Direção, que em 6 anos sempre levamos o mesmo valor e que estava na altura de sermos recompensados, mas um pouco por tudo o que tínhamos feito, por termos posto a SFAL no mapa dos melhores Carnavais do Distrito de Setúbal e não só, de termos conseguido em 2013 sermos pagos só com a receita da porta, saibam que nem á merda me mandaram. Quero dizer mandaram, porque nem sequer me deram resposta.
Não vejam ofensa no meu termo CHICO ESPERTOS, eu prefiro que a carapuça seja enfiada a quem ela couber. Aquilo que eu disse é verdade, a desertificação das Coletividades de Cultura e Recreio, é muito mais complexa do que eu aqui aponto, isto é so a ponta do Iceberg, agora acreditem que sem peneiras eu sou um perito nesta matéria, porque estou há 46 anos por dentro deste assunto e estudei-o em profundidade, mas ninguém se admire, afinal os CHICOS ESPERTOS deste PAÍS puseram-nos a pedir esmola.
Eu sei que os Companhia Limitada são um projeto válido, mas desenganem-se se acham que eu tenho a mania que somos os salvadores da Pátria, eu tenho perfeita noção de que não é o nosso nome que agora vai voltar a encher as salas que eu citei, porque eles desabituaram as pessoas, não interagiram com os sócios, porque se eu soubesse que se fosse tocar aos Franceses ou aos Penicheiros ia encher a sala, eu até de borla lá ia. Só que a realidade é muito diferente. As gerações de hoje não querem bailes, os mais velhos querem é danceterias, com pouca luz onde podem soltar a franga é por isso que eu afino quando me dizem “Oh chefe toque aí qualquer coisa para a velhada” ser velho não é um direito é a vida e os mais velhos tem de saber conviver, criar ambiente para os mais novos se sentirem bem e passarem a mensagem às Futuras gerações é aqui que está o “gato” senão é o descalabro total e um salve-se quem puder.
Pela minha parte? Só quero saúde para poder subir a um palco e empregar a minha experiencia e o talento que julgo ter para fazer terceiros felizes, novos e velhos. Mas se houver por aí algum CHICO ESPERTO que se queira redimir, por mim tudo bem não sou rancoroso nem já tenho pachorra para alimentar quezílias de estimação.
TÁ DITO? TÁ FEITO
DESABAFITOS DE DOMINGO

Balancim/ Balancé de Fim de Mês

E pronto estamos no final de Agosto, isto para muita “gente”, gente fina já se vê que têm a mania por terem “levantado ferro” do Algarve que o Verão acabou. Em abono da verdade isso é um mito que o jet-set e as pseudo vedetas inventam porque não permitem que alguém possa ter ou ser mais protagonista do que eles, nesta montra de vaidades que ano, após ano, as revistas de escárnio e mal dizer teimam em noticiar e que o Zé-povinho compra avidamente. Bom, sem hipocrisias eu não compro, mas leio porque á falta de bons livros de anedotas nas bancas de jornais e livrarias, estas revistas para mim “desenrascam” a situação.
Mas compro o Correio da manhã, para ficar por dentro do que se vai passando no nosso burgo e que aproveito para ler na praia, isto quando tenho tempo para ir á praia, já que o Agosto está a terminar e fui 3 vezes á praia. Por um lado o tempo tem estado assim que a modos para o estúpido principalmente as noites e neste Mês de Agosto, com os Companhia Limitada em tournée apanhei um pouco de tudo, calor de rachar durante o dia, frio de enregelar os ossos, durante a noite, chuva que nos obrigou a cancelar e a terminar mais cedo 2 espetáculos, Quilómetros de estrada sem fim, noites perdidas, stress em alta, e depois de ontem á noite termos fechado o Mês com um Baile que acabou em café concerto, a questão que se põe para mim é: SERÁ QUE VALEU A PENA?...
O Facto dos Companhia Limitada estarem em várias frentes de “combate”, obriga-nos a esforços redobrados, hoje fazemos um Baile, amanhã um Café concerto, outro dia um tributo aos Abba, depois um tributo aos Anos 60, uma noite de anos 80, um Disco & daquilo, um outro tributo aos Bee Gees, um á música portuguesa com melodias de sempre, mais uma incursão pelo fado com aromas do Mundo etc… ufffffff até a escrever me cansa já.
Mas tudo está bem quando acaba bem e posso dizer que neste ponto de sucesso ou não o saldo é muito positivo. Foram mais uns milhares de pessoas que nos aplaudiram, que nos mimaram com elogios que até me fizeram corar e novas perspetivas para outros voos começam a tomar forma como a recompensar tanto esforço e dedicação despendido.
Convém não esquecer, que nós somos uns faz-tudo, carregamos, conduzimos, descarregamos, montamos, afinamos, tocamos e voltamos a fazer tudo de novo para voltar a casa e não temos tão pouco material como isso. Vai valendo o espírito familiar que sempre foi apanágio do sistema social do grupo, em quase 17 anos de vida dos Companhia Limitada, mas tudo isto nos deixa com uma fatura muito pesada para pagar onde a parcela saúde é que mais me preocupa.
Ontem por exemplo a noite foi com grande dificuldade que asseguramos a animação até há 1.10 da manhã. Na noite anterior tínhamos estado a participar numa noite temática dos anos 80 num Bar que é um open space, o que na prática quer dizer que não temos teto a proteger-nos, a noite por tal sinal estava boa mas o relento da madrugada e as 4 horas de música non stop fazem mossa em cima das larguíssimas centenas de horas que trazemos desde o início de Janeiro. Agora caro leitor se ainda não desistiu de ler pense lá nesta pergunta: Será que você não é uma daquelas pessoas muito rápidas a ajuizar terceiros e está a pensar: “Quem corre por gosto não cansa”?
Pois mas cada um sabe de si e garanto-lhe que há outros valores que se levantam e nos impelem a procurar fazer mais e melhor.
Analisemos concretamente o meu caso, em 30 dias fizemos 18 shows diversos, percorri a conduzir mais de 9000 Km, toquei largas centenas de horas e faturamos claro, mas deixe me acabar o meu raciocínio, num Espectáculo em Samora Correia ao virar para o palco uma manivela do elevador do teto do palco descai quando estava a fazer a manobra e amassou-me a porta lateral da minha carrinha, alguém tem ideia de quanto é que vou ter de gastar? Pior ainda o sensor da porta ficou com defeito e vem todo o caminho a apitar porque deteta a porta mal fechada e dá me cabo da paciência, Noutra situação ainda mal tínhamos começado a aquecer os motores uma roulotte de farturas expelia fumo de óleo queimado para a zona do palco intoxicando a Ligia que teve de sair em braços, eu e o resto da banda andamos 2 dias com a língua encortiçada, anulamos um show por falta de condições técnicas e logísticas, outro tivemos de chegar a casa e secar cabos e P.A porque apanhamos chuva, batemos a altas horas da manha algumas estações de serviço da A1 e da A2 a brincar aos Zombies, arranjamos novos adeptos, novos contactos e outros contratos logo nessa parte, não me posso queixar, mas quando penso que boa parte dos nossos cachets vai parar às mãos das finanças dá me vontade de desistir e por falar em impostos deixem-me então terminar o meu desabafo. Já não é a primeira nem a segunda vez que algumas pessoas que passaram ainda que esporadicamente  pelo grupo depois de se apanharem servidas, acusam me de guloso, mas vejamos quem o é:
Qualquer valor que nós cobramos está sujeito no mínimo a 25% de IRS, logo quem passava os recibos era a minha amiga Sónia. Nas finanças não querem saber se ela ganhou 1000 €uros e dividiu por 5 pessoas depois de retirado as despesas de logística, por seu turno a segurança social também não o faz por menos faturaste x a mais que o ano passado vamos la a subir o escalão e ponto final… Bem até aqui nada de novo se ganhas tens de pagar impostos pensará você não é? Pois claro! Então deixe lá aqui o guloso lançar um desafio a todas as pessoas que ao longo de 17 anos tem colaborado com os Companhia Limitada, que me desmintam se eu estiver a lançar boatos. Todos os que por cá passaram, nunca ninguém trabalhou de borla e todos foram bem recompensados pelo seu trabalho e se tivermos em linha de conta que andavam nos meus carros, tocaram com os meus instrumentos, aproveitaram todo o meu trabalho de bastidores, com contactos para shows, ensaios e formação gratuita e nunca mas nunca nem um passou um simples recibo diga la quem foi o guloso? Fui eu?
Então eu tenho deveres só? Cadê os meus direitos?
Não seria justo que se essas pessoas receberam dinheiro que tivessem de passar o respetivo recibo?
Ah já não sou guloso sou PARVO?
Sim claro que sou, direi mais estúpido mesmo.
Quer mais? Ok!  
Na maioria das vezes porque os cachets são baixos e para manter a galera motivada aqui o Parvalhão pedia à Sónia para passar o recibo sem retenção na fonte já estão a ver o filme? Não? Pois enquanto a Sónia andou na faculdade foi apresentando despesas e a coisa foi indo mais ou menos, mas só a título de exemplo em 2013 esta prática foi tão corrente que agora temos 2400 €uros de IRS para pagar e quem vai pagar quem é????? Ah Pois! O parvalhão do Carlos Camarão.
O erro foi meu e da Sónia claro, mas a mim o que me dói é essas pessoas que por cá passaram ainda tem lata para cuspirem na sopa que comeram.
Mas sem grilos, é só um desabafo de resto já passou, já aprendi a lição e já passei à História e agora já estou atento, mas acabo esta maratona da mesma maneira que comecei “teso mas feliz” porque ainda vou vivendo a fazer o que gosto e cada vez mais a sentir que algo me diz vai á luta, não desistas, sê honesto, imparcial e amigo dos que lutam ao teu lado, só que hoje ao lembrar me destas coisitas fico desiludido e com vontade de desistir, mas acho que se conseguir debelar atempadamente uma gripe de Verão que apanhei por causa dos frios da noite, dos ares condicionados dos carros, da exposição ao sol e de estar verdadeiramente fatigado, em breve voltarei á luta.
Não escrevi estas palavras, para angariar adeptos para a minha causa, simplesmente apeteceu-me desabafar e enquanto escrevo reflito e componho as minhas prioridades na minha vida pessoal e musical. Por agora só preciso de aliviar a tensão de tantas horas de trabalho responsável, já que como o amigo deve saber eu não brinco em serviço.  Ah e livrar-me desta maldita espécie de constipação e gripe misturado com uma amigdalite que me anda a deixar de rastos. De resto com saúde e uma mão cheia de amigos eu chego lá.
Siga a dança…..
Tá dito? Tá feito!



Desabafitos de Segunda-feira dia 19/5/2014

RISING STAR DA TVI? MAIS DO MESMO!

“Análise ao cerne da questão pelo Cornista CABÉ”

Antes que alguém pense que eu meto o “bedelho em tudo, deixem-me dizer que esse é o meu dever, estar atento, alerta e acutilante, é por causa de “dormirmos á sombra da bananeira” que muitos “tugas” nem sabem como é que depois do 25 de Abril o povo continua a ser roubado e vilipendiado todos os dias, ano após ano, mas descansem os meus amigos leitores que não vou entrar em campanha política, acerca disso a minha opinião já está mais que formada ainda desde o tempo da “outra senhora”, quero sim reiterar a minha opinião sobre os concursos caça talentos da TV, mormente o Rising Star que não serve para outra coisa do que não ser um medidor de audiências de resto é mais do mesmo.
Quando vi pela primeira vez o spot publicitário da TVI fiquei curioso, e colei-me na estreia com a App pronta no meu smartphone para votar e ver o que acontece. Curiosamente na altura estava a seguir com alguma atenção o THE VOICE da RTP1, porque segundo a minha opinião o conceito era bom, os concorrentes a serem avaliados pela sua prestação e não pela imagem, fez me até desejar ter melhor voz e eu ia até lá lolll… Nunca achei muita piada aquelas picardias entre os jurados e muito menos ao sistema de votação do 707…. de telefone que a gente (RTP e PT) enchemos os bolsos, mas na verdade continuava a achar algum interesse era tudo pessoal que está na área e dava-lhe algum crédito pelo menos por eles. Percebi que nas primeiras emissões aproveitavam muita “coisa” entenda-se concorrentes um pouco mais na boa vontade de serem magnânimos em relação ao estilo do Moura dos Santos (Sic/Ídolos) afinal nem 8 nem 80, mas desde a segunda edição dos ídolos que estava mais que escarrapachado que os adjetivos que o Moura dos Santos aplicava sobre as prestações dos concorrentes era mais show off que outra coisa, eles (sic) sabiam que eram os cromos e as bocas que subiam as audiências e então foi um regabofe a raiar a violência verbal, no entanto muitas e muitas vezes até se justificava tal era a mediocridade dos concorrentes, mas também não é preciso exagerar… enfim também na minha opinião já foi chão que deu uvas.
Voltando á vaca fria na noite em que o meu amigo Alexandre Malveiro participou no The Voice, e nem vou discutir a sua prestação, ele já estava mais que condenado e porquê? Porque naquela noite para todos os concorrentes que lá foram só havia um lugar e era o Reininho que dispunha do dito, porque o resto já estava tudo preenchido. ESTÁ MAL! Porque enquanto houve vagas foi á vara larga, e mais condescendentes, mas como só havia um lugar o Reininho teve de ponderar melhor. Reparem que eu ainda quero acreditar que ele não tinha nenhum tópico sobre a potencialidade dos candidatos dessa noite, aliás eu acredito nele, mas ainda acredito mais que a produção é que lhe disse olha oh Rui passa o concorrente tal.  Mas isto sou eu que sou um má-língua do caraças. Ontem eu que até já tinha desistido de ver o Rising Star, fiquei particularmente atento e com a App aberta, eu e a família aqui em casa claro. O motivo era a prestação de um concorrente de seu nome FLÁVIO SANTOS, uma pessoa que eu considero um ser humano excecional e dotado de um aparelho vocal muito bom, tinha prometido e apostava que ele iria passar no mínimo a outra fase. Mas mal a Leonor Poeiras anunciou o sistema de votação da noite, temi o pior e opinei com a família, ou muito me engano ou o Flávio hoje vai ter uma noite difícil e porquê? Pela mesma porra do The Voice, eles apuraram seca e meca e ontem foi carne para canhão, ou seja metem mais de uma dezena de concorrentes, num só programa e em vez de apurarem quem levantasse o ecrã, como todos os outros, alteram a regras á última da hora e só vão apurar 5 porque segundo a produção acabava esta fase. MAS QUE MERDA É ESTA PÁ? Que queiram fechar esta fase tudo bem, mas onde está a moral? Quer se dizer os outros passaram com o “aval” das votações de casa e para tal bastava levantar o ecrã e ontem foi por percentagens e só passavam os primeiros 5? Se fosse comigo na hora mandava-os apanhar nas nalgas e vinha-me embora mas isto era certinho. Mas pronto eu sentia-me impotente para poder fazer algo a não ser votar se é que vale alguma coisa mas fiquei ali de pedra e cal… O programa foi avançando e nada de Flávio e eu dizia só espero que ele não seja dos últimos, entretanto fizeram vários intervalos e eu já estava sem paciência, e interrogava-me o PORQUÊ DESTA PALHAÇADA DE HOJE? ESTES GAJOS ESTÃO NITIDAMENTE A ENCHER CHOURIÇOS…   e de repente fez –se luz! OS GLOBOS DE OURO DA SIC! È isso eles tem de tentar roubar audiência aquela vaidade que a SIC inventou e que não serve para nada mas enfim é televisão e pronto…. E quando vi que inexplicavelmente eles põem ainda mais 2 concorrentes suplentes a cantar ainda fiquei com mais certeza e sorri cinicamente tal como o sorriso da Leonor quando diz que era surpresa da noite lolllll… mas estes indivíduos pensam que neste País é só lorpas?? Surpresa para quem ? Há para os telespectadores? Sim fiquei surpreendido, e embora despropositado até achei bem, mas se eles eram suplentes porque é que a votação deles contava para o score? De onde apareceu aquela tabelazinha das percentagens, foi mais uma inovação da noite? Mas se era surpresa o primeiro concorrente dos suplentes, já tinha a viola afinada e pronta para tocar e a banda de suporte tinha a segunda música prontinha da Silva, mas não era surpresa para os suplentes? Então não seria suposto eles nem saberem? Eles são suplentes porque podia faltar alguém, mas antes do programa ir para o ar eles(produção) já sabiam quem era quem ou não? Mas pronto foi surpresa, tal como as surpresas que o Passos Coelho nos tem dado ao longo de 3 anos… enfim! E o tempo foi passando, havia que aguentar no outro canal a SIC estava a dar cartas e eu fui aguentando mas receoso. De repente e aí sim fiquei surpreso, vejo o TIAGO RIBEIRO e digo á família, fiquem atentos, que este rapaz tem uma voz fantástica vamos la ver que canção ele escolheu, quando para meu espanto vejo que ele leva o irmão… Oh Tiago, fica te bem esse comportamento sem dúvida, mas não achas que exageraste um bocado nas tuas afirmações sobre o teu mano? Que tal um pouco mais de humildade? Mas pronto tu é que sabes. Até acho que o teu mano tem grande potencial sem dúvida mas ainda está a muitos furos abaixo de ti, e depois ele a querer acompanhar te não foi lá grande ideia. Não é que cantassem mal, mas foi uma coisa sem chama e se vocês têm ido a solo acredito que a história seria outra, ainda assim porque tenho plena consciência do teu valor e dos dotes do teu mano votamos sim, mas fiquei desiludido, porque esperava mais de ti e neste caso dos 2 mas depois de teres levantado tanto a fasquia foi maior a queda, mas isto é so um programa e tu tens valor para voos mais altos e o teu mano também sem dúvida mas tem trabalhar mais, muito mais ok?
Bem o Tiago é um cantor fantástico, que eu conheci quando fui jurado no único concurso de karaoke decente em que participei no KK do Barreiro, daí a minha desilusão, mas há dias assim.
Quanto ao Flávio Santos os meus receios que ele ficasse para os últimos aumentavam, depois os intervalos a partir a pica ao pessoal, o empastelamento dos locutores, o mais do mesmo do choradinho dos concorrentes e das entrevistas sensaboronas e sem jeito do Pedro, estavam a tirar-me do sério. Mas aguentei e já caminhávamos para a 1 da manhã quando o meu amigo Flávio Santos apareceu. Era mesmo o último concorrente… fonix não sei não…. A canção que ele escolheu é linda e ele sabe-a de cor e salteado, mas nestas coisas há que ser mais acutilante e tentar ganhar pontos ao fim de 1 minuto, esta canção só começa a mostrar o verdadeiro potencial do cantor quando entra no final do refrão, depois porque foi cortada porque é muito grande  perde ali um bom bocado em que o Flávio podia abrir todo o seu aparelho vocal e depois aquela hora já muita gente se foi deitar. Notei e já lhe o disse, o Flávio pouco á vontade e com a voz cansada sem aquela chama que me habituou a ver. Num show de variedades ou nos karaokes isto passa, mas ali? Onde literalmente ele estava a lutar contra o tempo não me pareceu boa escolha. Ainda assim o Flávio levantou o ecrã, mas percebi logo que não chegava eu tinha apontado tudo e a canção ainda estava nos acordes finais quando eu escrevi ao Flávio Ta feito morreste na praia…  O Flávio vestiu-se a preceito, cantou a preceito e passou a preceito, que culpa teve o rapaz que aqueles iluminados resolvessem mudar as regras do jogo á última da hora? Será que o Flávio sabia? Bem a vida continua, afinal aquilo é mais do mesmo, senão onde estão as centenas de grandes vozes que prometeram mundos fundos e uma carreira promissora dos outros concursos de caça talentos??? Mais ainda, onde estão os vencedores com contratos milionários das editoras de discos? Mas quais editoras? Não se iludam amigos, que eu também não… Digo e repito se alguma das minhas colegas quiserem participar eu não me oponho e até ajudo nalguns pequenos truques para ajudar a passar, mas comigo não, quero dizer que eu faça força ou as incentive a isso não obrigado.
Quanto ao programa Rising Star? Por mim podem ir á merda e apareçam quando souberem fazer alguma coisa honesta do principio ao fim… Ah não precisam da minha opinião claro, claro, mas sabem uma coisa? Eu tenho TV por cabo!
TÁ DITO? TÁ FEITO!
CABÉ ( Cornista Social)
Nr. Cornista porque sou enxertado em corno de cabra

   

DESABAFITOS DO MEIO DA SEMANA
Do outro lado da Barricada em Ferragudo, com o DUO SAX “

Sempre que posso e que tal se justifique, adoro deambular por aí para perceber como vai o Mundo da música executado por outros colegas, ou seja ficar incógnito no outro lado da barricada (entenda-se palco).
Ontem dia 2 de Setembro, fui com a Zé, a Li, a Sónia e o Ruben até á vila de Ferragudo de tão boa memória para os Companhia Limitada, para assistir à performance do DUO SAX composto pela LARA & BRUNO, dois jovens de 15 anos que tem estado em evidência neste Verão executando covers de qualidade com os seus instrumentos preferidos os Saxofones.
Movia-me a curiosidade de como é que eles tão novinhos tinham conseguido estar num certame tão famoso como é a Fatacil. Antes que o leitor possa pensar “cunhas já se vê” e meu amigo, quem não as tem está lixado, o que é facto é que o que vi lavou-me a alma, tanto que eramos para ficar um bocadinho mas ficamos até ao fim.
O que vi foram 2 jovens que dominam na perfeição os instrumentos que utilizam, são alunos do conservatório e tenho a certeza que devem de ser dos melhores exemplos que por lá deve de haver.
Impressionou-me o facto de eles tocarem sempre atentos à partitura, eu que há muitos anos me “deixei disso” por inerência do percurso que escolhi, a não ser quando seja estritamente necessário, fiquei agradavelmente surpreendido porque não sentia a sonoridade de quem está a ler uma pauta e não tem vida própria, ou seja se por um lado leem de “carreirinha” o que por si só já é de respeitar, por outro a sonoridade era solta como se fosse natural com fraseados bem delineados por quem sente o feeeling da música. Não se limitam só a tocar o que lá está e ficar assim um bocado pro automatizado… Bem tentar explicar isto melhor estava aqui uma boa parte do texto… em suma vê-se e ouve-se perfeitamente que apesar de serem muito jovens, e ainda terem muito pouco tempo de trabalharem juntos, ali há “sumo” de alta qualidade.
Para ajudar tanto a Lara como o Bruno tem uma figura bonita como se quer, já que a vista é a primeira coisa a comprar, vestidos como jovens que são sem ser preciso sessões de strip barato para chamar a atenção, encantavam-nos pela sua postura, A Lara sempre com um sorriso rasgado e o Bruno mais compenetrado lá foram desfilando um repertório cuidado onde há um pouco de tudo, sem muitas conversas, nem atropelos, entreajudando-se no virar da pauta, muito compenetrados a mostrar um profissionalismo que me encheu as medidas.
Normalmente o tipo de sax alto que usam se não for bem tocado pode até estar afinado mas tende a ficar estridente é diferente da sonoridade do Tenor, mas nada disso aconteceu o som era doce e os dois á altura um do outro. Nota-se que o Bruno é um pouco mais arrojado, adorei quando ele passa para o contralto e dá uma de Kenny G de uma forma imaculada, mas a Lara quando teve de mostrar o que vale a solo não deixou os seus créditos por mãos alheias e sem bochechas como muitos saxofonistas fazem (não que isso tenha algum mal) mostraram uma técnica de embocadura que não me passou despercebida. Os seus professores devem de se sentir orgulhosos pelo investimento feito nestes dois jovens.
Uma palavra de apreço para os progenitores que com um sorriso rasgado de orelha a orelha e com razão para tal, faziam metade da festa com palmas de apoio.
È bom! È muito bom ver os Pais destes talentosos musicos continuarem com os pés bem assentes no chão, serem humildes ao ponto de perceberem que há ainda um caminho longo a percorrer, embora na minha opinião mais tarde ou mais cedo, o céu seja o limite.
Outra “coisa” que me agradou e que temos (Companhia Limitada) sentido na pele!
O respeito que os turistas estrangeiros mostram pelos músicos Portugueses de quem gostam.
A Rua 25 de Abril onde eles atuavam, é uma rua pequena e estreita, metade do pequeno palanque ocupava a rua no sentido da largura, “os transeuntes na maioria estrangeiros” vinham de ambos os lados da rua e eram surpreendidos com o facto de terem que passar por uma nesga entre a parede e o palanque, ninguém passava á frente dos músicos, no mínimo esperavam que a música acabasse, aplaudiam e seguiam o seu caminho, ou ficavam por ali a apreciar… Lembrei-me que nós Portugueses também somos assim, (sorriso amarelo)… é claro que não há regra sem execepcção.
Resumindo, Sábado os DUO SAX vão estar na Casa Grande de Ferragudo (Bar) onde este Verão assinámos 4 noites memoráveis de casas cheias com animação ao mais alto nível, como estamos a aproveitar uns dias de descanso em muitos meses um Sábado livre, estamos a contar ir até lá para agora sentados numa mesa do outro lado da barricada, enquanto a Sónia a Li e O Ruben emborcam umas caipirinhas, “eu não “ alguém tem de conduzir de volta né? Vou voltar a apreciar A Lara e o Bruno mas vou munido de um bloco de apontamentos para tomar umas notas sobre o repertório que usam porque já lhes manifestei o prazer que teríamos em fazermos uma noite especial com os Companhia Limitada e o Duo Sax algures num palco perto de si.  
Quanto aos DUO SAX se eles souberem gerir as emoções e os deslizes próprios do seu crescimento quer como músicos, quer como seres humanos, se perceberem que a união faz a força desde que puxem os dois para o mesmo lado, se os pais conseguirem estar á altura de saberem que nem tudo o que luz é ouro e irem atrás de promessas que não passam de quimeras, eu do alto dos meus 46 anos de carreira, 17 dos quais ao serviço dos Companhia Limitada onde tenho trabalhado a 100% com jovens, vaticino que em breve, só espero que não seja breve demais, Ferragudo, quiçá o Algarve para começar e Portugal posteriormente serão lugares demasiado pequenos para os DUO SAX.    
Lara e Bruno tudo de bom para vocês, ontem lavaram-me a alma e acreditem que todos nós que lá estivemos aprendemos mais alguma coisa para melhorarmos também as nossas performances. È com muito orgulho que vos temos na nossa Guest List de jovens de classe superior.
Tudo de bom para vocês e obrigado por existirem…
Ps: Soube também que o Luís Alberto foi o vosso padrinho de batismo lolll… Aqui por  Ferragudo e pelo o Algarve também foi o nosso curioso não? Pois! Sem concursos ou castings da treta, este senhor é que é  um autêntico caça talentos pelos vistos….
Tá dito? Tá feito!...